Fraport vai tomar empréstimo de R$ 700 milhões do BNB

Fraport vai tomar empréstimo de R$ 700 milhões do BNB

OBRAS NO AEROPORTO | Decisão unânime foi aprovada pela diretoria e acionistas da companhia

Empresa que ficará à frente da gestão do Aeroporto de Fortaleza até 2047, a Fraport Brasil decidiu tomar emprestado até R$ 700 milhões do Banco do Nordeste do Brasil (BNB) para investir na modernização e ampliação do terminal. A decisão foi aprovada, por unanimidade, pela diretoria e por acionistas da companhia em assembleia geral extraordinária realizada no último dia 24 de agosto, na Capital cearense.

O crédito virá do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE) e será pago em até 20 anos. A expectativa é que a taxa de juros seja de 5,8% ao ano. As negociações entre Fraport e BNB começaram em fevereiro.

Além do financiamento das obras de modernização e ampliação do Aeroporto de Fortaleza, outras operações com a Fraport estão sendo analisadas pela instituição. Para 2018, o banco projeta contratar cerca de R$ 14,5 bilhões para projetos de infraestrutura no Nordeste.

Para pagar o financiamento de R$ 700 milhões, a Fraport constituiu algumas garantias durante a assembleia geral, como: cessão fiduciária de aplicações financeiras das contas bancárias a serem especificadas no contrato de financiamento, nos termos, condições e valores especificados pelo BNB; penhor das ações de emissão da companhia por sua acionista Fraport AG Frankfurt Airport Services Worldwide; cessão fiduciária dos recebíveis oriundos das receitas obtidas pela prestação de serviços de operação do aeroporto; cessão fiduciária dos direitos emergentes decorrentes das indenizações e demais valores devidos à empresa nos termos do contrato de concessão do terminal, celebrado com a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac); e outras garantias de caráter pessoal ou real que estejam previstas ou sejam necessárias no contrato de financiamento.

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) também estava disposto a financiar as obras, que são tocadas pelo consórcio Método e Passarelli desde abril. A escolha da companhia pelo BNB estaria ligada às taxas mais competitivas.

“Em entrevista concedida ao O POVO no mês passado, antes de a Fraport decidir pela contratação da operação de crédito, o presidente do BNB, Romildo Rolim, disse que estava otimista quanto ao acordo. “A parte do projeto que depende do Banco do Nordeste já foi concluída. Estamos aguardando a decisão da empresa, que está fazendo ajustes apenas no dimensionamento dos investimentos”, afirmou na ocasião.

A Fraport precisaria entregar a primeira etapa das obras de expansão e reforma do terminal existente em outubro de 2019. Mas solicitou à Anac que o prazo fosse estendido em seis meses, para abril de 2020.

Fonte: Jornal O Povo

TRABALHADORES DA OBRA DO AEROPORTO REJEITAM CONTRAPROPOSTA PATRONAL

TRABALHADORES DA OBRA DO AEROPORTO REJEITAM CONTRAPROPOSTA PATRONAL

Em assembleia realizada na manhã de hoje (25/07), os trabalhadores da obra de reforma e ampliação do Aeroporto Pinto Martins em Fortaleza, rejeitaram por unanimidade a contraproposta apresentada pelo Consórcio responsável pela obra.

Ficou deliberado que após o tempo de 72h, os trabalhadores irão paralisar suas atividades por tempo indeterminado, caso não haja nenhum avanço nas negociações na solução de todos os problemas e reivindicações da categoria.

Uma próxima assembleia ocorrerá na próxima segunda feira, dia 30 de julho no canteiro de obras e até lá, o sindicato aguarda o posicionamento das empresas.

LOGO APÓS A RETOMADA DA OBRA DO AEROPORTO DE FORTALEZA, OS TRABALHADORES JÁ AMEAÇAM PARALISAÇÃO

LOGO APÓS A RETOMADA DA OBRA DO AEROPORTO DE FORTALEZA, OS TRABALHADORES JÁ AMEAÇAM PARALISAÇÃO

Inabilidade do Consórcio Aeroporto de Fortaleza em negociar o ACT – Acordo Coletivo de Trabalho põe em risco o andamento da obra que hoje conta com cerca de 400 trabalhadores e estava paralisada desde 2014.

O SINTEPAV-CE publicou, na data de hoje (19/07), um Edital de Convocação para Assembleia Geral Extraordinária, convocando todos os trabalhadores do canteiro de obras do Aeroporto Internacional Pinto Martins em Fortaleza/CE, para participarem de uma assembleia que será realizada no próximo dia 25 de julho.

A razão da insatisfação da categoria está relacionada à falta de avanço nas negociações do ACT – Acordo Coletivo de Trabalho que deverá ser firmado entre o consórcio responsável pela obra e o sindicato para garantir os direitos dos trabalhadores. Para Raimundo Nonato Gomes, presidente do SINTEPAV-CE, essa conduta do consórcio só mostra que mais uma vez, a obra vai dar trabalho.

O impasse nas negociações começou quando o consórcio não quis atender o pedido da categoria para o valor da cesta básica; da PLR – Participação nos Lucros e/ou Resultados e do plano de saúde. Além desses motivos, Raimundo Nonato questiona o fato de o consórcio já ter contratado mais de 50% de sua mão de obra de trabalhadores de outros estados. “Entendemos que uma obra deve atender o máximo de trabalhadores da região, visto que temos qualificação para atender a demanda”, afirma o presidente que tem recebido constantes reclamações da categoria sobre a falta de oportunidade de emprego.

ATENÇÃO PARA ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA – OBRA DO AEROPORTO INTERNACIONAL PINTO MARTINS

ATENÇÃO PARA ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA – OBRA DO AEROPORTO INTERNACIONAL PINTO MARTINS

O SINTEPAV-CE convoca todos os trabalhadores da categoria representada por este sindicato, empregados do Consórcio Aeroporto Fortaleza e empregados das empresas subcontratadas pela mesma para executarem as obras de expansão do terminal de passageiros do Aeroporto Pinto Martins, para comparecerem à ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA que irá acontecer no dia 25 de julho de 2018, às 6:30h em primeira convocação e às 7:40h em segunda e última convocação.

A convocação tem por objetivo, apresentar aos trabalhadores a situação das negociações do ACT – Acordo Coletivo de Trabalho e assuntos gerais.

O Edital foi publicado na edição de hoje, 19 de julho do caderno Populares do Jornal O Povo, página 15.

Para baixar o edital, clique aqui: Sintepav-CE – Edital de greve – Aeroporto 2018

Parte da reforma do Aeroporto de Fortaleza será entregue a partir de julho de 2018

Parte da reforma do Aeroporto de Fortaleza será entregue a partir de julho de 2018

Previsão de término das três fases de obras, iniciadas nesta terça-feira, é maio de 2020.

As obras de expansão do Aeroporto Internacional Pinto Martins começaram de forma oficial na manhã desta terça-feira (19). A previsão de término é maio de 2020, porém, a reforma no pavilhão superior deve ser entregue em julho deste ano, segundo o consórcio Método e Passarelli, contratado pela concessionária do aeroporto, a Fraport, para realizar a reforma.

De acordo com o responsável pela área de operações do consórcio, Romilson Sousa, a obra vai se dividir em três etapas: expansão do terminal de passageiros, adequações no sistema viário, adequação das vias de taxiamento e ampliação de pista de pouso e decolagem.

“As primeiras obras entregues devem ser a parte que diz respeito às áreas existentes do terminal. Existe uma adequação, uma grande área que vai ser entegue para operação do aeroporto a partir de julho que é a parte que vai ser reformada no pavimento superior do aeroporto. Elas têm que ser feitas parcialmente”, explica Romilson.

“Com um grande time de especialistas, a Fraport Alemanha e Brasil fizeram o impossível se tornar possível para cumprir a curto prazo estabelecido para a aquisição do Aeroporto de Fortaleza. Hoje, depois de uma longa espera e de inúmeros esforços, oficializamos o início das obras com todas as permissões e licenças necessárias, afirmou Andreea Pal, presidente da Fraport Brasil.

O que muda

O Aeroporto de Fortaleza vai receber uma nova ponte de embarque, novo sistema de despacho de bagagem, expansão da pista de pouso e decolagem. Para essa fase serão gastos aproximadamente R$ 800 milhões. O número de pontes de acesso dos passageiros às aeronaves vai passar de sete para 10.

Governo do Estado estima que o número de turistas no Ceará deve subir, pelo menos, quatro vezes, com as obras concluídas. Mas já há expectativas de mudanças mais rápidas, como o número de vôos internacionais que deve aumentar até o fim do ano, segundo Camilo Santana.

Estrutura antiga reaproveitada

Ainda segundo o responsável pela área de operações do consórcio, a empresa está reaproveitando toda a estrutura que já existia anteriormente. Rone afirma que todo o material em si está íntegro e não vai comprometer a segurança da obra.

“Vamos aproveitar tudo. Toda estrutura pré-existente. Grande parte vai ser reaproveitado. Um ou outro pilar pode ser refeito, mas nada que prejudique a qualidade da obra. A estrutura existente está integra. Então nós fizemos vários ensaios e testes como especialistas que analisaram as estruturas existentes. Não vai ser necessária derrubar a estruturas existente”, garantiu.

Ampliação da pista e outras intervenções

Sobre o início da ampliação da pista para pouso e decolam e de outras intervenções como uma realizada no subsolo Romilson afirmou que a ampliação deve respeitar o cronograma e as janelas da obra. E que nada vai atrapalhar o fluxo de veículos e de pessoas nas proximidades do aeroporto.

“A ampliação da pista não começa agora. O cronograma prevê intervenções pequenas. Nós temos janelas de trabalho. Na pista vamos trabalhar no periodo da madrugada. Depende dos cronogramas. Janela de cinco e seis horas. Vamos trabalhar e sair e deixar do jeito que estava. Creio que entramos nesta parte no final do ano. Sobre as intervenções no subsolo não apresentará intervenções no tráfego. Tomamos cuidado para não atrapalhar o fluxo das coisas e nada de desvios nas vias”, disse.

Geração de empregos

Já o sócio diretor da Método e Passarelli, Paulo Bittar, a obra vai gerar por ano, até o término, obra previsto para maio de 2020, mais de 1.200 empregos. “Como já foi mencionado. Com as reformas vamos gerar mais de 1.200 empregos até 2020. Já trabalham na obra cerca de 400 funcinários e a tendência é aumentar”.

Hoje é possível sair direto de Fortaleza para:

  • Miami (Estados Unidos)
  • Buenos Aires (Argentina)
  • Lisboa (Portugal)
  • Milão (Itália)
  • Bogotá (Colômbia)
  • Caiena (Guiana Francesa)
  • Praia (Cabo Verde)
  • Frankfurt
  • Paris
  • Amsterdã

Para o prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio, é importante proporcionar ao visitante um tempo conexão o menor possível. “Os aeroportos são avaliados pela sua qualidade, e aqueles que têm o menor tempo de conexão entre um voo e outro são os que mais induzem as conexões. Para gente ser um hub eficiente, a gestão do aeroporto é muito significativa”, disse.

BNB confirma que financiará obras do Aeroporto de Fortaleza

BNB confirma que financiará obras do Aeroporto de Fortaleza

A informação é do presidente do banco, que esteve no evento “O Futuro do Nordeste”

O Banco do Nordeste será o agente a operar o financiamento das obras da Fraport no Aeroporto Internacional Pinto Martins. A assinatura do contrato ocorrerá até junho deste ano. A informação é de Romildo Rolim, presidente do BNB, que esteve ontem no evento “O Futuro do Nordeste”, realizado pelo Grupo Folha de São Paulo, com parceria O POVO, na sede do banco, no Passaré.

“Estamos trabalhando desde o começo do ano com a empresa. Fizemos duas tratativas com a presidente da Fraport no Brasil (Andrea Pal) e aprovamos uma espécie de carta-consulta”, adianta. Segundo ele, o BNB aguarda apenas a entrega do projeto para a liberação da operação. “Aguardamos até o fim do semestre a assinatura. Os recursos vão contemplar a modernização do aeroporto até um prazo de 20 anos, com carência de cinco anos e taxa do FNE (Infraestrutura Logística) de 5,23% ao ano”, garante. O programa financia até 80% do projeto da concessionária alemã. Nesse sentido, dos R$ 800 milhões previstos pela companhia, R$ 640 milhões seriam advindos do banco estatal.

Sobre o valor a ser financiado, o presidente do BNB explica ainda está em estudo. “A empresa está dimensionando os investimentos necessários. Assim poderemos contabilizar e como será feito o financiamento. Seremos financiadores não só do projeto de Fortaleza, mas também do Aeroporto de Salvador”, garante.

Procurada pelo O POVO, a Fraport ressalta que as tratativas seguem avançando. “O BNB irá financiar de acordo com o que as regras permitem; o restante será financiado com recursos internos”, diz a companhia em nota. Sobre a entrega dos estudos, a empresa alemã apenas informou que a “troca de informações está em andamento”.

Quem também estava na disputa para financiar a Fraport era o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico Social (BNDES). Em visita ao Ceará em fevereiro, Paulo Rabello de Castro, presidente do banco, destacou interesse na operação. No caso do BNDES, o financiamento deve girar em 40% do projeto – teto máximo permitido pela instituição financeira.

O orçamento de recursos do FNE, operado pelo BNB, para o Nordeste é da ordem de R$ 30 bilhões. A expectativa do banco é que o Estado contrate R$ 2,5 bilhões em projetos. Desse total, R$ 300 milhões são para agricultura, R$ 500 milhões para pecuária, R$ 600 milhões para indústria e R$ 30 milhões para agroindústria. Já o turismo responde por R$ 100 milhões, além de comércio e serviços com R$ 750 milhões. No ano passado, o valor de contratações atingiu R$ 1,7 bilhão no Estado. “Queremos ampliar a contratação de projetos de energia solar e eólica”, acrescenta Romildo.

Fonte: Átila Varela – Jornal O Povo

Fraport, Estado e Prefeitura buscam solução para obras no Aeroporto

Fraport, Estado e Prefeitura buscam solução para obras no Aeroporto

Decisão judicial impede retirada de estruturas metálicas abandonadas e atrasa obra

Fraport, Estado e Prefeitura buscarão uma solução para um impasse jurídico envolvendo um contrato do antigo consórcio CPM Novo Fortaleza e a Infraero. Isso porque as estruturas metálicas que se encontram numa área do Aeroporto de Fortaleza estariam inviabilizando as obras de expansão do equipamento. Ontem, ocorreu uma reunião na Procuradoria da República no Ceará para tratar sobre o assunto.

“A Fraport ficou de conversar com o Estado e o Município para avaliar como pode ser feita essa remoção. A empresa irá informar até o dia 14 deste mês o andamento das tratativas”, destaca Alessander Sales, procurador do Ministério Público Federal (MPF) no Ceará. Ele explica que uma ação judicial corre em Brasília encabeçada pelo antigo consórcio contra a Infraero acerca das estruturas.

“Nesta ação específica, o consórcio quer que a Infraero pague as estruturas metálicas que ele comprou para colocar na obra. As estruturas, no entanto, estão no chão do canteiro. O juiz em Brasília determinou uma perícia dos materiais. Enquanto não é realizada, não poderá ser feita nenhuma intervenção na área, o que impede a Fraport de realizar as obras de expansão”, explicou Alessander. O magistrado em questão é Waldemar Cláudio de Carvalho.

Alexandre Pereira, titular da Secretaria do Turismo de Fortaleza (Setfor), explica que a reunião com a Fraport e o Estado deve ocorrer esta semana. “Vamos ver como faremos. Se ela será removida ou remanejada para uma área no próprio aeroporto”, esclarece.

Em nota, a Infraero afirma que na reunião de ontem e se colocou à disposição para contribuir. Procurada, a Fraport ressaltou em nota que entra como terceiro no processo, “solicitando liberação para seguir com as intervenções acordadas no contrato de concessão”. Em relação ao cronograma das obras, a empresa confirma que a situação atual gera atrasos. O POVO tentou contato com o consórcio CPM Novo Fortaleza, mas não houve retorno das ligações.

REUNIÃO SOBRE O IMPASSE

Participaram o Tribunal de Contas da União, Fraport, Agência Nacional de Aviação Civil, Secretarias Estadual e Municipal do Turismo e a Infraero.

Fonte: Jornal O Povo

Fraport deverá investir R$ 800 milhões na modernização do aeroporto de Fortaleza

Fraport deverá investir R$ 800 milhões na modernização do aeroporto de Fortaleza

A operadora alemã assinou contrato para execução das obras de expansão do Aeroporto Internacional Pinto Martins

Operando no Aeroporto Internacional Pinto Martins desde o dia 2 de janeiro, a Fraport Brasil – Fortaleza assinou nesta segunda-feira, 29, contrato com o consórcio Método e Passarelli para execução das obras de expansão do aeroporto de Fortaleza. Devem ser investidos, segundo a gestora do aeroporto de Fortaleza, aproximadamente R$ 800 milhões na nova fase. O valor é destinado à realização das fases 1B e C das obras, que contempla a contratação do consórcio, a compra de equipamentos, o desenvolvimento e a gestão do projeto.

Segundo a Andreea Pal, CEO da Fraport Brasil – Fortaleza, “a meta é criar um portal aeroportuário moderno, eficiente e focado no cliente, aproveitando da experiência, energia e expertise da equipe local que formamos. Queremos oferecer o nível mais alto de qualidade em serviços, operação e segurança”, afirma.

As obras mais básicas consistem na extensão da pista e adequação das vias de taxiamento. Por outro lado, para o início das obras de expansão do terminal de passageiros, ainda é necessária a autorização judicial para acesso ao local e aprovação para eventual demolição das estruturas antigas.

Geração de empregos
As licenças ambientais já foram emitidas pelos órgãos reguladores e está previsto um pico de até 500 trabalhadores para execução destes serviços. As negociações contratuais tiveram início em setembro de 2017 e o contrato foi assinado sob a modalidade EPC (Engineering, Procurement and Construction), que determina que o consórcio é responsável por todas as etapas das obras, desde o projeto até a entrega final.

Fraport

Em março do ano passado, a Fraport AG conquistou, por meio do Governo Federal, a concessão dos aeroportos de Fortaleza pelos próximos 30 anos.  Para manter o direito de operar em Fortaleza, a Fraport terá de cumprir o Programa de Investimentos Obrigatórios. Ele prevê ainda uma ampla gama de projetos de remodelação nos terminais de passageiros  além da instalação de wi-fi de alta velocidade. A área dos táxis e o sistema rodoviário da região também passarão por mudanças para atender o acordo.

Programa de Investimentos Obrigatórios

Expansão do terminal para 26 mil metros quadrados
Extensão da pista em pelo menos 210 metros
Reforma do pátio de embarque e desembarque das aeronaves
Reforma e realocação das pistas de táxi
Reformulação do sistema rodoviário
Implementação um novo sistema automatizado de controle de bagagem e controle de segurança

12 pontes de embarque de aeronaves e respectivos pátios

Melhorias no terminal de saída dos passageiros em Fortaleza
Banheiros e fraldários
Sinalização de terminais
Wi-fi gratuito de alta velocidade
Iluminação externa para acessos de rodovias, estacionamentos, terminais de passageiros e cargas, além de outras áreas
Melhorias no ar condicionado, escadas rolantes, esteiras, elevadores e correias transportadoras de bagagem
Manutenção geral de superfícies em áreas para passageiros.

Fraport assina contrato, mas impasse contra obras continua

A alemã fechou com as empresas Método e Passarelli para as construções no Aeroporto Pinto Martins, mas processo pode atrapalhar expansão do terminal de passageiros

OBRAS INACABADAS se tornaram batalha judicial entre Infraero e consórcio CAMILA DE ALMEIDA

A Fraport Brasil assinou ontem contrato com as empresas de São Paulo Método Potencial Engenharia e Passarelli para execução das obras de expansão do Aeroporto Internacional Ponto Martins. Serão R$ 800 milhões entre contratação do consórcio, compra de equipamentos, desenvolvimento e gestão do projeto. Mas, impasse jurídico em relação à obra inacabada para a Copa do Mundo de 2014 continua, o que pode atrapalhar a expansão do terminal de passageiros.

As obras com as empresas paulistas incluem a expansão dos terminais, extensão das pistas existentes, remodelação das áreas de táxis e de tráfego, e reformulação das vias de taxiamento do aeroporto. Além disso, o equipamento receberá novos sistemas automáticos de gerenciamento de bagagens, de controle de segurança e pontes de embarque. A previsão é contratar até 500 trabalhadores.

No entanto, para iniciar a ampliação do terminal dos passageiros é necessária a autorização judicial para acesso ao local das estruturas antigas e aprovação de eventual demolição.

Mesmo o impasse judicial sendo entre a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) e o consórcio contratado à época, as obras podem ser afetadas. A Infraero informa que está fazendo levantamento da situação com o setor jurídico para informar à concessionária.

Em relação aos ajustes solicitados pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) à Fraport, no programa que trata dos investimentos a serem realizados no aeroporto, ainda não há data para nova entrega.

Sobre a expansão do empreendimento, Andrea Pal, CEO da Fraport Brasil, destaca que a meta é criar um portal aeroportuário moderno, eficiente e focado no cliente.

Segundo Hugo Marques da Rosa, CEO da Método Potencial Engenharia, a obra é um desafio e deve proporcionar mais conforto aos usuários, além de aportar alta tecnologia. Para o diretor-presidente da Passarelli, Hugo Passarelli Scott, o contrato é um importante capítulo na história da empresa, que tem participado do desenvolvimento do País.

AEROPORTO

MAIS INFORMAÇÕES

CPM Novo Fortaleza era o consórcio das obras, hoje inacabadas. O contrato com a Infraero foi rescindido. O CPM entrou na Justiça Federal para provar que a Infraero é a responsável pelo atraso na construção, além de buscar indenizações.Ontem, o Aeroporto de Fortaleza foi considerado o 2º melhor do Nordeste na avaliação dos passageiros

DETALHES

PERFIL DAS COMPANHIAS

Passarelli Com mais de 85 anos de atividade, atua na área de saneamento, projetos de infraestrutura, edificações, desenvolvimento imobiliário e de óleo e gás. O portfólio inclui clientes como a Companhia do Metropolitano de São Paulo, Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) e Eletropaulo. Método Potencial Engenharia Com 25 anos, atua como fornecedora no mercado de construção, montagem e manutenção industrial, nos segmentos de óleo e gás, siderurgia, mineração e energia. No portfólio, estão projetos para o Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj) e para a Refinaria Henrique Lage (Revap).

Fonte: Jornal O Povo

Concessão do Aeroporto de Fortaleza

Concessão do Aeroporto de Fortaleza

Em 16 de março de 2017, ocorreu o leilão do Aeroporto Internacional de Fortaleza (CE), este foi arrematado pela operadora alemã, Fraport AG Frankfurt Airport Services, que pagará pelo aeroporto R$ 1,505 bilhão até o final da concessão (2047). O lance mínimo do leilão era de 25% do valor total da outorga, que no caso do aeroporto de Fortaleza representava R$ 360 milhões. A Fraport ofereceu R$ 425 milhões e levou o aeroporto com ágio de 18%, em relação ao valor estipulado para o lance mínimo.

É importante relembrar que o projeto de modernização e ampliação do aeroporto, inicialmente estava previsto no Programa de Aceleração de Crescimento – PAC II. As obras começaram a ser realizadas em 2012, e em 2014, elas foram paralisadas em decorrência de problemas contratuais. O projeto ainda foi para um novo processo licitatório, mas em 2016, a preferência do Governo Federal, foi que o aeroporto de Fortaleza entraria para Projeto Crescer, no modelo de concessão comum.

Segundo estudos técnicos produzidos para esse projeto, por meio de procedimento de manifestação de interesses (PMI), conduzido pelo Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil, estima-se que os investimentos previstos para ampliação do terminal de passageiros, do pátio de aeronaves e da pista de pouso e de decolagem, totalizem R$ 1,4 bilhão. O projeto gerará 1.500 empregos diretos e de 3.000 empregos indiretos. O prazo de concessão será de 30 anos.

Ainda no mês de março, houve a abertura de documentos de habilitação apenas das proponentes classificadas em primeiro lugar. E o cronograma das próximas ações segue abaixo:

• 13/04/2017 – Publicação da ata de julgamento relativa à análise dos documentos de habilitação da proponente classificada em primeiro lugar
• 25/04 a 02/05/2017 – Prazo para interposição de recursos
• 23/05/2017 – Publicação do julgamento dos recursos
• 30/05/2017 – Homologação do resultado e a adjudicação do objeto pela Diretoria da ANAC
• 28/07/2017 – Convocação para celebração do contrato de concessão de cada aeroporto

A Fraport AG, proprietária e administradora do FRA, o maior aeroporto da Alemanha, tem uma longa tradição como prestadora de serviços aeroportuários. Fundada em 1924 sob o nome Südwestdeutsche Luftverkehrs AG, a empresa operou inicialmente o aeroporto de Frankfurt no site Rebstock. Atualmente, a Fraport atua no gerenciamento de aeroportos em três continentes, sendo 06 na Europa, 03 na Ásia e 01 na América do Sul, sem contar com o Aeroporto de Fortaleza e o Aeroporto de Porto Alegre). Em 2016, na data do balanço, a empresa tinha 22.650 trabalhadores e teve receita total de 2.598,9 milhões de euros.