A COPA DE 2014 E OS TRABALHADORES DA CONSTRUÇÃO: ESTRATÉGIAS GLOBAIS, MOBILIZAÇÕES LOCAIS

A COPA DE 2014 E OS TRABALHADORES DA CONSTRUÇÃO: ESTRATÉGIAS GLOBAIS, MOBILIZAÇÕES LOCAIS

RESUMO

O tema central deste artigo consiste na análise da ação sindical em meio a processos de globalização econômica. Em especial, trata-se de compreender como o processo desencadeado pela Campanha Por Trabalho Decente Antes e Depois de 2014, uma ação desenvolvida pela Internacional dos Trabalhadores da Construção e da Madeira (ICM) durante a Copa do Mundo no Brasil, impulsionou a internacionalização dos sindicatos da construção no país. Observa-se que a experiência da ICM na adoção de estratégias voltadas a megaeventos esportivos, a busca por negociações junto dos organizadores do campeonato e a falta de articulação nacional entre sindicatos brasileiros resultaram na predisposição destes à adesão na campanha internacional e ao estreitamento dos vínculos com a federação sindical internacional (FSI). Com esta experiência, uma inédita pauta nacional de negociações foi constituída entre os sindicatos brasileiros, o que interferiu nos desdobramentos das negociações regionais. Os resultados desta campanha evidenciam que as prioridades dadas às negociações de caráter local podem implicar não apenas em freios à internacionalização de práticas sindicais, mas, também, em potencialidades.

Maurício Rombaldi

Professor colaborador credenciado junto ao Programa de Pós-Graduação em Sociologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (PPGS/UFRGS), onde realiza pós-doutorado. É doutor e mestre em Sociologia pela Universidade de São Paulo (USP). E-mail:mauricio.rombaldi@gmail.com

 

Confira todo o artigo baixando-o: